Tempora mutantur (Os tempos mudam…)

Quando o cerne é interno, nos momentos de crise como o vestibular, algumas reflexões nos fazem continuar com ânimo, determinados a tornar nosso sonho realidade nítida, não uma visão turva, frágil, inconstante, apagada… Eis uma reflexão que tive hoje cedo, antes de pôr-me a findar alguns exercícios de Matemática… Postei no meu Facebook…

“Você só precisa continuar… Mesmo que o mundo tente te magoar. Canalize as energias boas, mas não desperdice as ruins, elas também são úteis quando você quer ter mais disposição para provar o contrário, porque você viveu consigo por um bom tempo, conhece melhor que qualquer um suas fragilidades, e reconhece que tem qualidades conquistadas com muita transpiração, desse modo, não admite que outros digam o que você sabe que não é verdade. Por serem olhos externos, não internos. Na Grécia Antiga, muito antes da nossa “avançada” sociedade, Sócrates dizia na máxima da sua sabedoria “conheça-te a ti mesmo”, “sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância”, e você que hoje reconhece o quão é ignorante, e por esse motivo, pôde notar que nunca vai alcançar a utopia de conhecer tudo, quer aprender mais, e isso fomenta em demasia a sua vontade de subir degraus do conhecimento. Esses aprendizados que venho tendo, desde o conúbio com o meu ser, desde o isolamento e da conexão com o verdadeiro Alexandre, me fazem refletir as verdades que antes eu propagava como “absolutas”. Hoje só digo uma coisa… Ao estilo socrático… “só sei que nada sei”. E se vou passar? Não sei. Mas, saber que na inconstância da vida, tenho na minha ignorância algo a ser combatido, me aproxima ainda mais da realização. Pois, não me deixa descansar enquanto não conter meu nome grafado na lista do meu desejo: Medicina na Universidade de São Paulo! Não o que os outros pensam ser a melhor opção pra mim.
A sociedade é melancólica, porque adota convenções e “fórmulas” inexistentes, inconscientes, vazias de felicidade… A única felicidade plena é fazer o que te dá vontade de fazer.. É viver o que te dá vontade de viver.. É ser quem você quer ser.. Sem privar-se da SUA felicidade! Tempora mutantur.. Os tempos mudam, amigos.”

Então, caros. Continuemos nossa luta. E pra não finalizar a postagem sem dar um parecer do meu paradeiro nos últimos dias, na ausência do Blog, digo-lhes que estou nesse ano muito centrado, com horários restritos às redes sociais – e quando os tenho, fico pouco tempo -, estou estudando em consonância com o meu descanso. Durmo bem, estudo bem; esse é um lema novo, do qual inexistiu nos anos retrógrados, desde quando iniciei meu processo estudantil direcionado ao meu sonho. Incrivelmente, já antecipei muita coisa. Não sei se necessariamente por estar rápido, ou por ter mais facilidade por já ter visto os assuntos, só sei que têm conteúdos que estavam programados para término só em Julho, outros em Agosto, e já os finalizei. Estou correndo bastante nos conteúdos remanescentes, sem perder a densidade, pois vi uma vantagem… Quanto antes finalizar as teorias, sem perder a qualidade, mais tempo me sobra pra resolver listas, provas, e exercícios de revisão; alguns assuntos dos quais tenho mais dificuldade vou mais devagar, à exemplo de Gramática, esse ano resolvi enfrentá-la sem me centrar apenas no que absorvi com leitura. Esse ano estou estudando metodicamente essa disciplina, porque ajuda muito na agilidade em questões de Português e várias de Interpretação. Se as pessoas soubessem como ler e estudar para dominar Português e tudo que envolva tal ferramenta faz uma diferença imensa, não perderiam tanto tempo só estudando exatas. Apesar de exatas ser mais complicado, e dissipar muito do meu tempo nela, linguagens é essencial. Porque te faz ir bem em qualquer prova e qualquer matéria. Pois, interpretar é essencial. Mesmo textos rebuscados, isso é demasiado importante. As leituras da Fuvest, finalmente, finalizei todas umas semanas atrás. Só faltava “Minha vida de menina”, que foi um presente da Fuvest. Que livro maravilhoso! Que menina mais linda, enérgica, esperta, puerilmente crítica e questionadora, a Helena (usando seu pseudônimo). Ri bastante no livro, e pude entender melhor algumas relações que se mantiveram inalteradas, mesmo com a extinção do Império. Agora, como já estou nas escolas literárias relacionadas às obras da Fuvest, estou estudando a escola, lendo análises e fazendo as minhas próprias do entendimento de cada obra, vinculada a sua respectiva escola, ao seu contexto, filosofias, questões sociais, etc. Então, tudo está sendo muito proveitoso. Pra não dizer que são apenas flores, o que me mantém ativo e atuante nessa altura do campeonato, é saber que quando meu corpo está cansado,         dou – com o perdão da palavra – um “foda-se” nos estudos, e durmo até me sentir bem.. rs Quando acordo, levanto com a mente mais leve que uma pluma, pronto para mais batalhas. Coisa que era impossível de se fazer, com o cursinho te pressionando à correr e estudar frivolamente as matérias, sem poder dedicar mais tempo ao aprofundamento das suas dificuldades. Só que agora sou meu Gestor, então, dane-se.. rs Estou pensando em equilíbrio, densidade teórica e prática. Então, foco no sucesso!! Esse ano – não sei se passo -, mas irei com a minha melhor versão, pra fazer uma prova digna de tanto esforço. E se possível, cravar essa vaga de uma vez por todas!! rs Abraços e sucessos!! Nos veremos em breve.
Olha uma foto da visita que fiz na MEDICINA USP!! Esse ano farei de tudo pra fazer parte de tudo isso!!

IMG-20170528-WA0008
Dentro da Faculdade de Medicina da USP, créditos pela foto tirada por um amigo do Blog, que tive o prazer de conhecer: Raphael

 

Anúncios