Tempora mutantur (Os tempos mudam…)

Quando o cerne é interno, nos momentos de crise como o vestibular, algumas reflexões nos fazem continuar com ânimo, determinados a tornar nosso sonho realidade nítida, não uma visão turva, frágil, inconstante, apagada… Eis uma reflexão que tive hoje cedo, antes de pôr-me a findar alguns exercícios de Matemática… Postei no meu Facebook…

“Você só precisa continuar… Mesmo que o mundo tente te magoar. Canalize as energias boas, mas não desperdice as ruins, elas também são úteis quando você quer ter mais disposição para provar o contrário, porque você viveu consigo por um bom tempo, conhece melhor que qualquer um suas fragilidades, e reconhece que tem qualidades conquistadas com muita transpiração, desse modo, não admite que outros digam o que você sabe que não é verdade. Por serem olhos externos, não internos. Na Grécia Antiga, muito antes da nossa “avançada” sociedade, Sócrates dizia na máxima da sua sabedoria “conheça-te a ti mesmo”, “sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância”, e você que hoje reconhece o quão é ignorante, e por esse motivo, pôde notar que nunca vai alcançar a utopia de conhecer tudo, quer aprender mais, e isso fomenta em demasia a sua vontade de subir degraus do conhecimento. Esses aprendizados que venho tendo, desde o conúbio com o meu ser, desde o isolamento e da conexão com o verdadeiro Alexandre, me fazem refletir as verdades que antes eu propagava como “absolutas”. Hoje só digo uma coisa… Ao estilo socrático… “só sei que nada sei”. E se vou passar? Não sei. Mas, saber que na inconstância da vida, tenho na minha ignorância algo a ser combatido, me aproxima ainda mais da realização. Pois, não me deixa descansar enquanto não conter meu nome grafado na lista do meu desejo: Medicina na Universidade de São Paulo! Não o que os outros pensam ser a melhor opção pra mim.
A sociedade é melancólica, porque adota convenções e “fórmulas” inexistentes, inconscientes, vazias de felicidade… A única felicidade plena é fazer o que te dá vontade de fazer.. É viver o que te dá vontade de viver.. É ser quem você quer ser.. Sem privar-se da SUA felicidade! Tempora mutantur.. Os tempos mudam, amigos.”

Então, caros. Continuemos nossa luta. E pra não finalizar a postagem sem dar um parecer do meu paradeiro nos últimos dias, na ausência do Blog, digo-lhes que estou nesse ano muito centrado, com horários restritos às redes sociais – e quando os tenho, fico pouco tempo -, estou estudando em consonância com o meu descanso. Durmo bem, estudo bem; esse é um lema novo, do qual inexistiu nos anos retrógrados, desde quando iniciei meu processo estudantil direcionado ao meu sonho. Incrivelmente, já antecipei muita coisa. Não sei se necessariamente por estar rápido, ou por ter mais facilidade por já ter visto os assuntos, só sei que têm conteúdos que estavam programados para término só em Julho, outros em Agosto, e já os finalizei. Estou correndo bastante nos conteúdos remanescentes, sem perder a densidade, pois vi uma vantagem… Quanto antes finalizar as teorias, sem perder a qualidade, mais tempo me sobra pra resolver listas, provas, e exercícios de revisão; alguns assuntos dos quais tenho mais dificuldade vou mais devagar, à exemplo de Gramática, esse ano resolvi enfrentá-la sem me centrar apenas no que absorvi com leitura. Esse ano estou estudando metodicamente essa disciplina, porque ajuda muito na agilidade em questões de Português e várias de Interpretação. Se as pessoas soubessem como ler e estudar para dominar Português e tudo que envolva tal ferramenta faz uma diferença imensa, não perderiam tanto tempo só estudando exatas. Apesar de exatas ser mais complicado, e dissipar muito do meu tempo nela, linguagens é essencial. Porque te faz ir bem em qualquer prova e qualquer matéria. Pois, interpretar é essencial. Mesmo textos rebuscados, isso é demasiado importante. As leituras da Fuvest, finalmente, finalizei todas umas semanas atrás. Só faltava “Minha vida de menina”, que foi um presente da Fuvest. Que livro maravilhoso! Que menina mais linda, enérgica, esperta, puerilmente crítica e questionadora, a Helena (usando seu pseudônimo). Ri bastante no livro, e pude entender melhor algumas relações que se mantiveram inalteradas, mesmo com a extinção do Império. Agora, como já estou nas escolas literárias relacionadas às obras da Fuvest, estou estudando a escola, lendo análises e fazendo as minhas próprias do entendimento de cada obra, vinculada a sua respectiva escola, ao seu contexto, filosofias, questões sociais, etc. Então, tudo está sendo muito proveitoso. Pra não dizer que são apenas flores, o que me mantém ativo e atuante nessa altura do campeonato, é saber que quando meu corpo está cansado, dou – com o perdão da palavra – um “foda-se” nos estudos, e durmo até me sentir bem.. rs Quando acordo, levanto com a mente mais leve que uma pluma, pronto para mais batalhas. Coisa que era impossível de se fazer, com o cursinho te pressionando à correr e estudar frivolamente as matérias, sem poder dedicar mais tempo ao aprofundamento das suas dificuldades. Só que agora sou meu Gestor, então, dane-se.. rs Estou pensando em equilíbrio, densidade teórica e prática. Então, foco no sucesso!! Esse ano – não sei se passo -, mas irei com a minha melhor versão, pra fazer uma prova digna de tanto esforço. E se possível, cravar essa vaga de uma vez por todas!! rs Abraços e sucessos!! Nos veremos em breve.
Olha uma foto da visita que fiz na MEDICINA USP!! Esse ano farei de tudo pra fazer parte de tudo isso!!

IMG-20170528-WA0008
Dentro da Faculdade de Medicina da USP, créditos pela foto tirada por um amigo do Blog, que tive o prazer de conhecer: Raphael

 

(DIÁRIO) – SALDO – MÊS DE ABRIL

Olá, caros. Fiquei sumido esses tempos, né? Bom… Tudo tem seu motivo. Vamos lá…
Entrei de férias no dia 3 de Abril. Tirei esse dia para mofar. E dormir até não sentir meus olhos. Depois, na madrugada, me alimentei e à partir daí só me lembro engolindo tudo o que podia, e resolvendo tudo o que era capaz. Resumindo: estudei vorazmente.  Sei que esse diário constará no mês de maio, mas tudo aqui inserido é um resumo do que foi meu mês anterior. Abril foi mágico e crucial. Pude pôr ordem em toda desordem e finalmente ver que estou no caminho certo. Pois, pela primeira vez, venho me mantendo acima do corte de Medicina da Fuvest. Ainda dependo do bônus, mas aos poucos vou aumentando meu desempenho para não mais necessitar dele. Não que tenha vergonha disso, afinal, é meu por direito. Estudei a vida inteira em rede pública do Estado, pense na defasagem até conseguir essas vitórias. Pode ser absurdo pra quem lê imaginar porque ainda não fui para a segunda fase com o bônus, mas, antes que conclua o raciocínio, indago: viu o nível da última prova da Fuvest? Intitulada como: a mais difícil dos últimos cinco anos. Então, dá pra ter o melhor cerne do quão é uma prova desigual, não é? Imagine que em vez de manter a regularidade você tivesse que – além disso – extrair forças de onde nem imaginava mais haver, para conseguir aumentar sua pontuação? Contando com todas as adversidades da vida. É difícil né? Não sei pra você que lê, mas pra mim é muito difícil. Por isso estou imensamente feliz de já ter feito algumas provas e em vez de cair, aumentar a pontuação regularmente, com um aumento verdadeiro, do que eu sei. E o melhor de tudo. Ainda em abril. E já iria para a segunda fase da Fuvest; posso dizer que isso é maravilhoso, porque em nenhum ano de cursinho consegui ficar acima do corte da Fuvest, nem com bônus conseguiria. Mas, dessa vez é diferente. Não estou batendo na trave. Estou aumentando gradualmente, ponto por ponto, pra quando chegarmos no final do ano, já estar pontuando acima do corte sem depender do bônus. Dá pra perceber como esse mês foi maravilhoso, não é? Meu estorvo sempre foi prova de múltipla escolha, mas para ter a oportunidade de fazer a prova escrita (que vou melhor), é necessário passar da primeira fase. Na prática você consegue enxergar seus pontos fortes e onde ainda está pecando, e na insistência você não mais errará o que anda errando. E não dissipa tempo com coisas inúteis. Seu alvo é o que você está errando. E quando você insiste nas suas dificuldades, o resultado começa a surgir! Fazer simulados e provas antigas insistentemente te faz crescer muito! É o que está fazendo minha pontuação sair de onde tinha estagnado. Fora que consegui resolver provas escritas, e agora estou muito mais a vontade nelas, porque estou conseguindo alimentar minha confiança com resultados que estão me encaminhando à realização!! Só posso dizer uma coisa à vocês: já fiz muito mais nesses poucos meses, do que nunca fiz em anos de cursinho!!! Estou imensamente contente com tudo o que está acontecendo. E tudo isso se deve à uma escolha: estudar sozinho. Que me dá tempo e direcionamento, para me trabalhar. Não é no tempo do cursinho, não preciso esperar a turma se nivelar, estou voando no MEU TEMPO! O melhor de tudo é não ter mais obra obrigatória para ler (quer dizer, só falta Minha Vida de Menina), essa é a única vantagem de ter reprovado nesses últimos anos… kkkkkk
E pra finalizar, vejam uma foto resumo do meu mês:
IMG_20170505_203602
Desculpem minha ausência esse tempo todo, sei que muitos de vocês fazem perguntas, solicitam links, etc. Mas, lembrem-se que apesar de estarmos em momentos diferentes em ano de prova, ainda somos vestibulandos, ou seja, é uma correria sem fim… kkkkkk Mas, sempre que possível postarei algo para vocês! Sou muito transparente. Sei que alguns de vocês pensam que já estou fazendo 80 pontos de olhos fechados na FUVEST , mas não vou ser hipócrita e mentir pra ninguém aqui. Estou sofrendo pra garantir minha vaga. Lutando ponto por ponto. E não só resolvendo provas de múltipla escolha, como também, provas escritas. Porque esse ano é MEU!!! Abraços caros, sucesso na corrida do vestibular!!

(DIÁRIO) MARÇO DE 2017 – O que ando fazendo do meu conúbio com o vestibular?

PUBLICAÇÃO ||05 de Março de 2017 || ATUAL**

16804473_1290459577697521_8711952319192827990_o

 

Que coisa, heim gente? Eis que estou em meu primeiro diário de 2017! Olhem os meses passando… Lembro que em algum texto atrás vos disse que “um ano voa…”. E não é que isso está acontecendo de novo? Bom! O que ando fazendo da minha vida nesses dias que fiquei meio isolado do Blog. Vejamos… Além de ter posto meu plano de estudos em prática, fazendo várias adaptações e só conseguindo relativo êxito de um esboço fixo em meados de fevereiro, as matérias estão entrando e os registros de “fase concluída” sendo relatados na minha pasta de administração de estudos. Não vou lhes dizer que é alegria o tempo todo, porque já passei por estágios de matéria acumulada, principalmente, antes de pegar ritmo novamente. E muitas coisas que fiz no primeiro calendário que postei aqui no Blog, principalmente no que refere-se ao quadro de provas, tive que dar uma flexibilizada, e melhorar no quesito: distribuição de provas ao longo do ano. Foi uma dor de cabeça extra, mas quando você vai “tocando o barco” no seu roteiro, você vai percebendo o que está dando certo e o que está fazendo a maré se levantar lentamente contra a sua pessoa. Só que nesse momento você precisa utilizar a experiência dos erros para perceber que algo tem que ser feito, e não apenas perceber, senão não adianta de nada! E, daí, cometemos outro erro passado. Não.. Não.. Hoje sou um homem movido pela ação planejada e não pela ação imaginada! Pelos atos pensados, mas, executados! Sem nenhum medo. Os prejuízos podem ser trabalhados, mas o que importa no final não é só a parte. Mas, o todo. De que adianta subir um degrau e vibrar por isso, se você não continuar subindo e subindo, e subindo.. E se dando conta de que você já está perto do final. Então, o todo, o somatório das vitórias é muito importante, porque ele é tudo o que te fez ser o que és hoje! É como vejo. Por isso, mudanças são necessárias sempre que seu instinto e seus resultados dizem que é preciso flexibilizar algo. E minha vida? Só estudos? Não.. Não… Eu não vou dizer pra vocês que sou o “senho baladeiro”, aliás, sou um “furão..”. kkkkk. Furei muito com meus amigos, sou aquele cara que vai desistindo de sair gradativamente, até porque não gosto de sair. Mas, aprendi que o verbo “viver”, não é somente, sair e forçar o divertimento (se isso para você não é divertimento). Viver é fazer o que te faz bem. O que tira a sua sobrecarga, o que gera força motriz pra você atropelar os obstáculos. Eu converso com minha mãe, amo falar com ela até de Futebol!! Vejam, ela ama Futebol, o nosso Corinthians. Eu gosto de ler sobre futebol também, pra ter argumentos com ela… kkkkkkkk E além disso, amo meus irmãos, minha família. Jogo video game também nos finais de semana. O velho “rachão” de futebol com meus irmãos. Aquela briga pra ver quem ganha os campeonatos e quem é o primeiro lugar… Olha o espírito do vestibular em lugares que você nem imaginava… kkkkkkk. Bom, além disso, todo final de semana durmo na casa da minha vó. Lá a gente conversa até tarde, bebo aquele maravilhoso e revitalizador café com leite da vovó na xícara feita sob medida para o meu conforto psicológico kkkkkk, assisto filmes até tarde com meu irmão, e converso muito com minha avó! Ela agora está dormindo mais tarde. Amo minha veinha!! Perdi meu avô, mas onde quer que ele esteja, está feliz em nos ver todos juntos, vivendo. Ele sempre foi alegre e  não ia querer ver só melancolia. Sempre bate aquela tristeza às vezes, é inevitável. Mas, quando isso acontece, nada melhor que curtir a presença daqueles que importam para a gente e que ainda fazem parte desse plano. Esse ano estou com poucos amigos presentes, só os remanescentes que me aturaram… kkkkkk. Todos eles focados no vestibular. Então, já dá pra ver. Converso todo dia com um amigo meu, mas é aquilo.. Falamos uns minutos, nos motivamos, e damos aquele “agora foca aí velho! quero ver você aprovado ano que vem heim, vai estudar!!!”. Todos encarnados. E isso resume a minha ausência. Ah! Estava tendo pouca evolução na academia! kkkkk Então, replanejei isso também, estou malhando em casa. E nas minhas férias (mês que vem) pretendo dar uma intensivada só pra  perder uma barriguinha de herança do sedentarismo… kkkkkkk. Quero correr no parque. Vou ver se consigo convencer minha mãe de ir comigo! Sobre as redes sociais… Dei uma isolada. Eu entro sempre que dá vontade no Facebook (ultimamente, ando muito sem vontade de facebook), só quando dá vontade de postar uma letra do Chico e fazer monólogos sobre essa letra kkkkkk, ou até mesmo postar uma reflexão. Sempre que vem. De tudo, não necessariamente de vestibular… Bom… Perdi meu celular ontem e estou sem WhatsApp, e vejam! Eu só estava entrando no Whats das 21 às 0h30. Que era meu tempo de redes sociais. E muitas vezes nem lembrava de ligar o celular… Então, decidi que só pegarei outro no final do ano. Assim, sem WhatsApp, já me livro da necessidade de ter um horário pra entrar num aplicativo que estava quase esquecido… kkkkkk. E acho que é só isso… Desculpa a informalidade, meu Diário; só queria ser mais próximo de você e de quem o lê. Já que as dissertações já exigem minha atenção gramatical. Não quero mecanizar isso aqui não… kkkkk Chega de vestibular, aqui é pra respirar. Então… Vou nessa!! Estava com saudades. Em breve postarei de novo. Aguardem! rs

A Casa do Dr. Arnaldo: meu lar em 2017

20160605_121146Salve, Vestibulandos de Medicina! Como andam os estudos? E aí, conseguindo dar uma quebrada nessa loucura toda? Estão fazendo exercícios físicos? Olha lá, heim!! rs
Bom, as coisas andam muito malucas na minha vida, mas é assim desde o dia em que disse para mim mesmo: quero ser Médico. Ontem fiz mais uma visita a Casa do Dr. Arnaldo, a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, onde farei de tudo para se tornar meu lar em 2017. Nessa nova visita tive experiências diferentes, nos anos anteriores quando fui, tudo foi muito novo, muito encantador e dessa vez foi mais encantador ainda. Mas, claro que tive uma nova experiência, a vontade de estar lá agora é maior. Minha nova sensação foi a de me sentir em casa, como se todo o turbilhão que passei nesses dias de preparação para o Vestibular, desse espaço à um espírito renovado, que recarregou as energias com a sensação de: “cara, esse vai ser o meu lugar em 2017, então vou ser ainda mais estratégico, pois não quero perder a oportunidade de fazer parte desse Universo ano que vem”.  Me sinto muito bem, pois incrivelmente, muita coisa que ouvi dos estudantes de Medicina foram o que eu precisava pra ver que estou no meu ano mais decisivo. E que estou fazendo tudo da forma certa. Cheguei a me preocupar antes da visita, pois não estou estudando como ano passado. Estou sendo muito mais flexível, sedimentando meu conhecimento. Agora que sei que sou capaz de ir para a segunda fase, estou me dedicando na prova da primeira fase pra não perder a mão, mas estou forçando muito desde o exato instante nas provas da segunda fase, e estou muito confiante por estar indo bem. Chega um momento que você não pode perder tempo de aplicação, e me vejo nesta situação. Pra mim o tempo é valioso. E na maioria das aulas que vejo que domino o conteúdo, acabo optando por aprofundar em exercícios e não desperdiçar o valioso tempo de aplicação assistindo aulas que já sei de cor, até o suspiro do professor. Sei que para algumas pessoas acabo parecendo “desumilde” por agir dessa forma, mas tenho um objetivo muito específico, e estou disposto a atingi-lo dessa vez. Uma coisa muito interessante que os alunos de Medicina disseram que fizeram no ano em que foram aprovados, estou fazendo. Eles deram os mesmos passos de início já resolvendo as provas da segunda fase e questões bem mais complexas. Fora que outra coisa determinante que também estou me dedicando e que agora vou aprofundar ainda mais, é a prova de Português e Redação da Fuvest. Os vestibulandos em sua maioria se dedicam muito aos conhecimentos específicos, e vão muito bem nestes e nos conhecimentos gerais, mas acabam em grande maioria indo muito mal na prova de Português e Redação. Então, além da dedicação com os conhecimentos gerais e específicos, quero arrebentar no primeiro dia da segunda fase. Por isso, só ficar em tarefas do cursinho pra mim não é suficiente, estou notando uma imensa evolução fazendo isso, e tenho certeza que mantendo a firmeza e aprofundando ainda mais essa estratégia, ano que vem vocês terão uma postagem de um novo Aluno da Pinheiros! Estou me empenhando muito, vencendo os existencialismos que já eram bem conhecidos e até esperados, e cada vez mais perto do último degrau para o meu sonho. A casa de Arnaldo me aguarda, espero ver muitos de vocês comigo na nova turma de Medicina da USP!! Abraços e vamos firmes e fortes, pois estamos vivos!