Segundo semestre: o mais importante para quem quer passar agora!

Fala galera, tudo bem?
Resolvi fazer esse vídeo pra abarcar algumas coisas que me pediram, mas, sobretudo, mostrar como estão meus estudos. Esse segundo semestre é importante, ele define quem vai passar e quem já está mentalmente se sabotando pra mais um ano de cursinho. É extremamente possível passar agora, tudo depende do que você fará de diferente dos outros anos nesse segundo semestre e que alavanque seu desempenho. A maioria das pessoas vão preferir se arrastar e ficar na zona de conforto achando que assim vão garantir sua vaga. Pode até ser que funcione para alguns, mas, para a maior parte, não. E quem passa sempre busca um jeito mais eficiente para si, para que consiga continuar rendendo e também para alavancar assuntos importantes em curto prazo. Espero que o vídeo seja útil, e faça vocês refletirem sobre o que estão fazendo como estudantes para passar agora!

Anúncios

REDAÇÃO: como elaboro a minha?

Olá, caros! Deixo aqui os arquivos das duas primeiras redações que fiz esse ano:
Redações Feitas
Abaixo gravei um vídeo explicando como elaboro minhas redações, além de ler e tecer comentários dando dicas no repertório, etc.
Espero que ajude! Abraços ♥
FOCO NO JALECO e FACA NA CAVEIRA ❤ 👨‍⚕👩‍⚕💀☠ ❤

RETA FINAL! O que fazer com o conteúdo atrasado e qual postura devo ter para não padecer?

vestibular-2
Eis que chegamos em Agosto, e agora é o momento crucial de ser estratégico. – Aos que pretendem passar esse ano – não adianta voltar tudo do zero e reiniciar os estudos metodicamente. Isso seria um erro que traria arrependimentos futuros, após reprovar. Então, como nosso foco é passar, preferi criar essa postagem pra compartilhar um pouco da minha experiência e quais foram meus comportamentos nos anos em que obtive resultados satisfatórios, e o que estou fazendo nesse ano, pra não ficar apenas no “quase”, pra efetivar meu ingresso na Medicina e não ter que lamentar o que não pude fazer. Então, chega de introdução. Vamos lá…

Matérias Atrasadas, o que fazer?

Pra quem está no cursinho…
O melhor é não se distanciar do assunto atual que o professor está trabalhando, isso só causaria mais desespero, pois além de sentir-se atrasado em relação a turma, você teria a tristeza de não entender nada do que o professor está passando. Consequência? Se sentiria um lixo, por estar atrasado e com dificuldades nos assuntos atuais e retrógrados – visto que o tempo nos faz esquecer detalhes cruciais.
O que fazer? Já disse. Não se mantenha distante. Continue praticando o método “Aula dada, Aula estudada”. E quando sobrar um tempinho, porque vai sobrar, volte nos assuntos que não conseguiu estudar. Só que de forma inteligente. Veja nos assuntos atrasados quais tem maior incidência no vestibular que você prestará, e quais você tem muita dificuldade. Priorize ambos. O que você não tem dificuldade, não há porque perder tempo. Liberte-se, cara! Avança!! O tempo está voando.. Pra algumas matérias, sinto lhe dizer que para que você tenha tempo extra pra tirar o atraso, você vai ter que priorizar também. Eu não disse pular, ignorar… Calma. Nas matérias e assuntos mais fáceis pra você, vá direto para os exercícios. Nem perca tempo fazendo resumo, lendo teoria.. Isso só vai te distanciar ainda mais. O negócio é você meter a cara nos exercícios. De preferência de nível médio à difícil. Não precisa pegar uma lista de cem exercícios. Só faça e quando sentir que já está superado o assunto, pule pra próxima lista! Agora é hora de ser eficiente. Se for possível, priorize listas das provas que você vai prestar, pra não tangenciar o domínio do seu vestibular. Seja rápido, mas não negligencie nada.

Pra quem está estudando sozinho…

Você tem tempo razoavelmente maior, mas, nem por isso deve se acomodar. Então, precisa fazer o mesmo. Nos assuntos atrasados, procure aulas de revisão ou resumos que deixem tudo mais objetivo e claro. E depois de uma analisada objetiva, vá para os exercícios e resolva o máximo possível, até se sentir seguro. Se você estuda por alguma plataforma online, pegue as vídeo aulas de revisão. Assista, e “senta bala” nos exercícios! Da mesma forma que no exemplo anterior, saiba priorizar os assuntos.
A ordem decrescente de prioridade é: assuntos recorrentes nas provas e que tenho dificuldade > assuntos que tenho dificuldade, mas que não caem tanto > assuntos que apenas atrasei, mas não tenho dificuldade. No último item (assuntos que não tenho dificuldade) vocês podem somente fazer os exercícios, no máximo, pra matar a insegurança, ver um resumo muito breve e partir pra resolução. No primeiro e no segundo item, os de maior prioridade, vocês já devem fazer um pouco diferente. Se o resumo e aulas de revisão em vídeo forem insuficientes, aprofundem coisas pontuais. Como assim? Coisas pontuais? Sim, vou dar um exemplo. Eu tenho muita facilidade em Dinâmica, mas, só dou uns vacilos em Plano Inclinado. Pronto! Já tem um assunto pontual pra dar uma atenção diferenciada. Então, trabalhe isso!

E as provas, já deveria ter feito ou devo dar ênfase nelas quando?

Então, já deveria ter pelo menos iniciado as provas. Mas, calma! Não é motivo pra se desesperar. O que recomendo é que você faça todos os simulados propostos pelo cursinho (se você faz cursinho), e não fique apenas nisso. Pegue provas antigas e já vá metendo a cara e vendo como está. Pra ver os pontos que precisa dar mais ênfase. Isso vai te ajudar muito no direcionamento de seu tempo remanescente nos tópicos mais relevantes! E pra quem estuda sozinho, pegue as provas antigas também. A frequência de provas depende da disponibilidade de vocês, mas, se possível, o mínimo que recomendo são pelo menos duas provas por semana. Pra recuperar o tempo perdido. Eu, por exemplo, estou fazendo quase todo dia prova, faço no meu serviço mesmo (madrugada). E das 6h30 às 12h durmo. Das 13h às 21h estudo, com intervalos, assuntos complementares e faço revisão do que fui mal nas provas… Seguindo a estratégia que lhes disse. Minha última prova da Fuvest fiz 70 acertos. Sei que é pouco ainda, mas meu problema nessa prova foi a desatenção, outra coisa que só se trabalha prova por prova. Mas, cresci. Comecei acertando 56 (minha pior prova do ano) e avancei, 62, 63, 65 e agora 70. Nessa última, quando corrigi fiquei um pouco decepcionado, porque poderia ter feito pelo menos 80 acertos. Perdi 10 questões que sabia resolver, mas, como estava cansado, desconcentrado, li superficialmente e respondi sem levar em consideração a densidade da questão. E acabei errando. Então é isso. Pense na evolução. Recomendo pra vocês uma coisa que fiz e que recomendei para alguns amigos. É difícil começar direto da Fuvest… Isso “machuca”, porque ela pega bem pesado, meio que “humilha” a gente.. rs Então, aumente o fluxo de provas, mas o gradue. Quando fiz 56 questões e quase chorei de ódio. Vi que não estava preparado pra pegar logo uma prova da densidade da Fuvest, sem ter aprofundado algumas coisas e logo depois que já estava uma estafa de cansado. Daí dei tempo, descansei e recuperei as forças após ter reprovado no vestibular, e esfriei a cabeça, pra me reconstruir gradativamente. E o que eu fiz salvou meu ano e está fazendo minha nota subir, num momento em que é normal apresentar algumas quedas por “n” fatores. Bom, chega de enrolar.. haushausha O que eu fiz? Simples, graduei, iniciei de provas mais “bobas” e aumentei o nível pouco a pouco. Mas, é o que falei. Se forem fazer isso nessa altura, vocês precisam aumentar o fluxo de provas.
Minha primeira prova foi a da Etec, pra vocês verem o nível de insegurança que eu estava. Depois de umas duas dela, fui pra Fatec, fiz mais umas duas. Depois fui para o Enem, e por último pra Unesp, Unicamp e Famerp (primeiro dia). Só depois disso que me arrisquei de novo na Fuvest. E quando fiz, fui para 62 pontos. Com o bônus que tenho já daria pra ir à segunda fase mesmo com 62 acertos. Então, 70 pontos é uma conquista grande pra mim, já que o corte da Fuvest ano passado foi 69. Mas, podia mais! Não me conformo quando erro o que sei. Quando isso acontecer, vocês precisam avaliar o que ocorreu. Eu analisei e vi que foi desatenção. Na minha próxima prova já a farei com muito mais seriedade, só vou parar de me concentrar quando “meus olhos sangrarem”, nas últimas questões.. uahsuahsuahsa
Então, em síntese é isso. Façam muitas provas de já! No mínimo, duas provas por semana. Sei que o “mínimo duas” assusta. Mas, não tem outro jeito. É a única forma de detectar o que vocês ainda estão pecando. De ter um tempo mais ágil, de ter um raciocínio e rendimento maior no tempo de prova. Sem ter grandes quedas. Se não sentirem-se seguros de pegar a prova de vocês de imediado, façam pelo menos duas ou três provas de um nível mais baixo, só pra dar aquele “start” e acordar, e depois, aumentem o nível. Até chegar na prova de vocês. Daí, já era! É só ir fazendo reparos nos assuntos que vocês estiverem errando. Outra coisa, corrijam cada prova como um complemento do aprendizado e uma revisão a parte, um alerta de que “esse assunto não posso mais errar” – essa frase é poderosa! Tem que pegar a resolução comentada nos sites de cursinho e ver porque erraram! E em outra que acertaram, mas que tiveram dúvida, também vejam a análise dos cursinhos. Isso ajuda demais, sério! Depois desse treino vocês conseguem até saber quais são os assuntos que não é preciso ficar bitolando.. Que se cair vocês vão, inevitavelmente, acertar! Daí, se dediquem nos outros, que estão errando. Acho que é só isso que tinha que falar das provas. O restante é só monitorar os resultados e acompanhar sua evolução. Depois disso, verão os pontos e a confiança subirem simultaneamente, num período em que normalmente, tudo isso vai despencando… Nessa altura muita gente está pensando no ano que vem.. “ano que vem me dedico mais”.. Isso é um pensamento comum pra quem não sabe se planejar. Então, sejam estratégicos! Nada de caírem nessa procrastinação involuntária que vai se transformando em voluntária. Ainda temos tempo de reverter os resultados! Ah… Antes que me esqueça! Quem for fazer provas que tenham segunda fase.. Entra no mesmo esquema. É por isso que vocês precisam ter um fluxo maior de provas. Pra atenderem as demandas, recuperarem o tempo e a confiança inicial que os fez optar por Medicina.

Considerações Finais

Bom, apesar de parecer uma correria geral, você precisa ter algum equilíbrio na sua vida, pra não sucumbir no desespero de fechar assuntos, fazer revisões, tirar atrasos, pensar nas provas, fazer provas.. Você precisa ter uma válvula de escape. No meu caso, faço exercícios físicos enquanto assisto “Os Simpsons” online, daí, economizo tempo, também entro no meu Facebook e voltei a postar no Instagram, ouço Chico Buarque e estou eufórico com o novo álbum, com a nova música que ele lançou e com a possibilidade de ir num Show dele pela primeira vez… Reduzi um pouco minha carga de estudos, até porque consegui cumprir meu calendário quase que completamente. Então, pra não perder tempo, já iniciei a revisão. Sei que algumas pessoas que leem meu Blog e que me têm no Facebook se espantam por ser relativamente presente lá. Mas, estou me permitindo isso. Pelo planejamento ter funcionado. E em todos os momentos que se fragilizou algo, antes que sucumbisse, eu mudei a estratégia pontual do que não estava dando certo. Quando você não tem coragem pra mudar o que está te afundando, sua vida cai em queda livre. Nenhuma “tração” poderá te salvar, se você não se ajudar e não pensar como um vestibulando moderno, que não é mais aquele antigo, que ficava bitolando, tentando decorar coisas em vez de compreender sua função e seu desenvolvimento, que só se permitia estudar e não ter vida social… Esse tipo de vestibulando tem uma maior tendência de sucumbir. Então, seja o vestibulando moderno. Seja flexível. Não tenha medo de mudar pontos de fracasso. Aceite novas ideias, e permita-se ser sociável. Porque, de que adianta a aprovação solitária? Sem ter ninguém pra comemorar com você, sem ter alguém pra te abraçar, pra chorar junto e pra dizer que você é um exemplo de superação? Não abandone as pessoas, não se abandone. Não seja o vestibulando obsoleto. Mantenha o foco, sem se mutilar! Esse ano não está perdido. Só perde o ano, quem desiste de mudar o que não está dando certo. Abraços! E sucessos. Qualquer coisa, só comentar abaixo que respondo! E se achou válido o que foi lido aqui, compartilhe com quem precisa ler isso. 

Como faço Redação?

Salve, caros! Tudo bem? Sempre fui questionado sobre Redação, e muitas pessoas me perguntam se tenho facilidade em sua produção, por ser blogueiro… Minha resposta é não! rs Acreditem, enfrento as mesmas dificuldades de todos vocês. Mas, tenho uma ressalva; tenho facilidade no formato da Fuvest, por me sentir mais confortável e trabalhá-lo desde 2014, além de amar temas filosóficos e não ter que tecer um desfecho com proposta de intervenção, como no Enem. É fácil notar que pela minha indagação eu tenha mais dificuldade com o formato do Enem. Então, trarei para vocês um exemplo de Redação, em que tirei a nota 880,00 do Stoodi. Detalhe: eles são muito rigorosos nas correções, e os alunos costumam ter uma margem de erro positiva no dia da Prova oficial. Então, sem mais delongas… Analisem e critiquem a vontade, até porque estou me formatando para esse formato, já que é outra porta pra entrar na USP! rs

PROPOSTA – ENEM – 2006

TEMA: O poder de transformação da leitura.

Minha Redação:

Democratizando a leitura

É inegável aos contemporâneos que o Romantismo marcou o início da democratização do universo escrito; o que se difere de períodos anteriores, em que ler era distinção social e não trazia inclusão.
Com a ascensão da burguesia, era necessária a existência de veículos de comunicação em massa, o que obteve êxito nos romances de folhetim, criados para nutrir a sede que esse público tinha de viver o universo leitor.
Nos anos posteriores, a leitura transformaria a realidade de um autor que ainda hoje influencia gerações com a profundidade psicológica de seus personagens, Joaquim Maria Machado de Assis ascendia e criava o Realismo brasileiro, com a obra “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, que em seu ápice criativo, traz um defunto-autor tecendo suas críticas à hipocrisia corriqueira do contexto em que viveu. A pluralidade escrita é transcendente; cria personalidades, transforma pensamentos, denuncia de forma mais sutil, mas não menos revolucionária, as injustiças cometidas pela coerção das elites.
Sobre o papel de denúncia, um exemplo de destaque é Graciliano Ramos, que deu voz ao sertanejo abandonado pelo Brasil oligárquico. De modo que conseguiu trazer a sonoridade na fala dos personagens, a economia no vocabulário pobre, denunciando a falta de oportunidade que os retirantes tinham, em que exploração por quem detinha o mínimo conhecimento era regra.
Na Filosofia de Kant, é possível sintetizar tudo o que foi levantado anteriormente numa única frase: “o homem é aquilo que a educação faz dele”. A produção de conhecimento, o deslocamento para mundos desconhecidos, a luz que guia o pensamento humano, a autonomia e o usufruto digno do livre arbítrio, só são possíveis com o acesso ao universo impresso.
Portanto, é preciso democratizar a leitura de forma eficiente. Uma ação que pode ser feita é a criação de cartazes publicitários disponibilizados pelo Ministério da Educação às escolas da rede pública, com imagens motivadoras ao ato de ler de forma gradual. Não como a atual, que implica no desinteresse precoce dos alunos por coagi-los a iniciar em clássicos de difícil compreensão. Nos primeiros anos do fundamental as obras devem ser infantis, e, aos poucos, com o desenvolvimento intelectual da criança, a complexidade também pode crescer. Para que o projeto não enfraqueça, é primordial que o incentivo transcenda ao estímulo nas escolas, é preciso que as mídias virtual e televisiva também contribuam na propagação de campanhas conjuntas com o Ministério da Educação pelos esforços na mudança do quadro leitor brasileiro. Com isso, a médio e longo prazo, as consequências esperadas são a redução da polarização social no que diz respeito ao acesso à informação, e o aumento no significado do termo “cidadania”.

Nota da Redação por competência do ENEM:
dfdfdfdo

Linguagem

Competências 1 e 4:
“escrito; o” / escrito o
“personagens, Joaquim” / personagens. Joaquim
“fundamental” / Ensino Fundamental

Conteúdo e estrutura

Competência 2 e 3
“era necessária a existência de veículos de comunicação em massa”
– Por quê? Procure explicitar.
“denunciando a falta de oportunidade que os retirantes tinham”
– Por que ela ocorria?
“em que exploração por quem detinha o mínimo conhecimento era regra.”
– De que modo se dava a exploração a que se refere? Qual era a regra?
“A produção de conhecimento, o deslocamento para mundos desconhecidos, a luz que guia o pensamento humano, a autonomia e o usufruto digno do livre arbítrio”
– Procure exemplificar cada um desses elementos.

Proposta de intervenção

Competência 5
“a complexidade também pode crescer”
– Que critérios estabeleceriam os níveis de complexidade da leitura?
“propagação de campanhas”
– Como elas poderiam ser elaboradas?


Viram galera? Escrever é complicado até pra quem já lida bastante com isso… Então, por mais que vocês sejam bons na escrita, pratiquem muito! Sério.. Só porque sempre tirei notas altas nas Redações no formato Fuvest e nas provas oficiais do Enem vinha tendo um retrospecto ascendente nos últimos anos, quando comecei a trabalhar direcionando minhas dificuldades de escrita e no formato do Enem, percebi que estava longe da utopia que almejava. Só que agora é só seguir o método socrático… Ter consciência do quão sou ignorante e a partir daí, trabalhar metodicamente na redução da minha ignorância, pra poder atingir a sabedoria. Sintam-se à vontade para comentar e se tiverem alguma dúvida é só fazer a pergunta que responderei abaixo. É isso… Abraços e continuem focados! E claro.. Façam muita Redação! Treinem muito. E quem mira Enem, tenha empenho, pois o mínimo pra complementar as notas e ampliar as chances de passar em Medicina, deve ser pelo menos 900 na Redação. Acima disso, as chances aumentam ainda mais. Então, estratégia! Foquem nas suas dificuldades, não apenas na Redação, mas, em tudo!

OBS: Quem tiver dúvidas sobre como planejo minha Redação, ou sobre citações, etc… Só mandar nos comentários! Abraços!!