DIÁRIO – MARÇO de 2020 – Volteiiii * – *

DIÁRIO || 01 de Março de 2020 || 

Olá, Diário. Tudo bem com você? Está cansado de ler meus relatos, né seu danado! Mas, não vou parar tão cedo, tudo bem?! Esse início de 2020 foi bem diferente de tudo. Passei por algumas situações inusitadas. Mas, antes que antecipe a ânsia em ler minhas experiências, vamos falar um pouco de 2019. Foi um ano em que apostei todas as minhas fichas no estudo exaustivo, e ao invés de ter um retorno significativo, com todas as letras: fracassei. A princípio, tive um início animador, com muitas expectativas e um fôlego que desconhecia. Todavia, como todo veterano sabe, a reclusão e a escolha por adiar o descanso que corpo e mente necessitam faz com que as consequências sejam tão maiores quanto o declínio da expectativa em seu desempenho. Não foi só meu desempenho que caiu, minha sanidade também. Não é fácil vir e trazer notícias ruins, quer dizer… Não é tão simples, talvez seja até menos difícil, haja vista que é tecnicamente previsível desde 2014, ano em que comecei. Eu esperava que tivesse quedas, que reprovasse alguns anos. Só não acreditava que levaria tanto tempo pra realizar algo. Até cheguei a duvidar de pessoas que conheci nessa caminhada de que “medicina é para os fortes” e você vai perder tanto quanto ganhará. A questão é se você terá psicológico suficiente pra escolher “seguir”, quando tudo te indica que o melhor é “parar”. E nós, teimosos que somos, obviamento optamos pela sequência. E digo, “nós”, eu e você que ainda está lendo isso e busca uma motivação. Hoje entendo bem quando vejo as pessoas que optaram por não seguir. Não é fácil seguir… Parece que perdemos muito mais do que a mera conquista. No entanto, sei que a recompensa será enorme. E não digo isso por ler relatos, por conhecer pessoas que já passaram… Digo isso por mim, porque lembro de todas as vezes que duvidei do meu potencial e até mesmo dei um tempo pra aprender algo. E depois que insisti, aprendi, e não tem sensação melhor. Sei que é doloroso abdicar de tantos prazeres que a vida nos oferece, mas, também sei que um sonho adiado persegue. Todas as vezes que você se deparar com algo que aparente ser difícil, você vai lembrar que desistiu da medicina. E quando estiver num estágio da vida em que sua idade te preocupa, você vai se sentir triste por pensar que se tivesse segurado um pouco mais, teria conseguido. A questão é que talvez sim, talvez não. Não é possível determinar um tempo. Mas, é plausível saber que você vai conseguir se opta em persistir. Eu sei que fiz muitas escolhas erradas ao longo desse tempo. Só que também acertei bastante. E não vou parar de errar. O meu grande erro de 2019 foi achar que a total reclusão seria a “cereja do bolo”, e isso me trouxe mais sofrimento do que glória. Porque o excesso de cobrança abalou meu psicológico nesse sentido. E o que posso dizer pra você, meu diário, é que me sinto como um super-herói que descobriu seus poderes recentemente, como Barry Allen quando descobriu a supervelocidade, mas, não sabia como usá-la. Pra simplificar tal alegoria, sinto que tenho conhecimento suficiente pra passar nas provas, mas, não consegui pôr isso em prática, e por qual motivo? Porque não sabia como usar isso. Eu não consegui extrair o que aprendi no momento da prova, apesar de treinar simulados. Evoluí em redação, tirei notas altíssimas nas duas que fiz (ENEM e UNIFESP), mas, nas respectivas provas, fiquei no potencial. Não consegui converter o potencial em real. Esse ano mudei algumas coisas, em vez de começar a estudar freneticamente, descansei bastante. Tiveram anos em que eu nem fiz intervalo, terminei as provas e já iniciei os estudos no final do mesmo ano. Absurdo! Esse ano eu descansei bem! E aproveitei muito. Tive até momentos de “amor de verão”… (risos), instalei os aplicativos conhecidos, conheci alguém, saí, fui num jogo de futebol pela primeira vez na vida. Senti a vibração da torcida do meu coração (Corinthians), fui assistir ao jogo “Corinthians x Guaraní do Paraguai”, sei que fomos eliminados, mas, foi maravilhoso ver aquilo, e vou assistir mais vezes nesse ano! Minha conclusão é que você não pode deixar de viver por causa de algo. Talvez meu desequilíbrio em todos esses anos tenha sido esse. Achar que a reclusão seria a chave de uma aprovação rápida e sem sofrimento. Como fui ingênuo… Eu cheguei a testar alguns métodos tanto no final de 2019, como no início de 2020. Fato é que faz poucos dias que voltei a estudar “pra valer”. Eu estava aproveitando muita coisa, dando uns “foda-se’s” em tudo. E vivendo… É incrível. E continuará sendo. Não vou desequilibrar mais, pra nenhum dos eixos, nem curtição total, nem estudo total, vou equilibrar isso. É minha meta pra esse ano. Viver, não deixar de ir em algum final de semana ao cinema, ao estádio de futebol, ou simplesmente dormir o dia todo, e também não vou deixar meu cronograma de lado. Quando estiver estudando, os momentos, continuarei focado. Dá pra conciliar, se você é veterano… Cara, repense… Será que seu erro não é abdicar dos prazeres da vida? Acho que você tem conhecimento suficiente acumulado. A questão é que precisa se permitir viver um pouco, equilibrar as coisas, não apenas se sufocar em pilhas de livros que você sabe que não vai dar conta de fazer tudo. Então, é mais inteligente saber direcionar sua atenção ao que está faltando. Eu achei engraçado… Esses dias estava ajudando uma amiga minha que prestará concurso público de nível superior. Os assuntos da prova já são mais pesados, é basicamente uma prova da fuvest (guardadas as devidas proporções), eu lembrava todos os assuntos de matemática, explicava a teoria pra ela, e ela me questionava de como ainda não passei. E quando fui ajudar ela a resolver, enrosquei em algumas questões. Não por não ter conhecimento, mas, não saber como aplicar de forma eficiente o que sei. E conclui a partir disso, que sou cego. A resposta sempre esteve na minha cara, especialmente ano passado, eu sei a teoria. Sou bom nela.. A questão é a aplicação. Então, esse ano estou fechado nisso. Focando na resolução de questões, tanto das minhas coleções, como dos livros que comprei, até mesmo questões de outras apostilas ou sites, etc. O negócio é me acabar de tanto aplicar o que sei. E só estudar teoria do que eu não estiver tendo uma margem de acertos satisfatória. Por isso mesmo comprei didáticos. Pra aprofundar o que tiver que aprofundar. Será que acerto dessa vez? Sinceramente não sei. Não dá pra saber… A questão é que nunca desisto de me aprimorar e me ouvir. Já tenho algumas provas pré agendadas que reservei. Em breve falarei sobre tudo. O que quero deixar claro aqui, diário… É que não adianta nada passar e não ter sanidade pra aguentar a faculdade, e pior, acredite… Se eu passasse hoje, não sei se comemoraria. Não sinto aquela ansiedade (no tom positivo) de antes, me sinto frio, sem a motivação pueril de antes e também sem aquelas coisas de “Deus, se eu passar vai ser um dia lindo”, eu só estou seguindo. Sei que não é romântico dizer isso, mas, talvez no dia que eu passar eu caia em prantos. Não desconsidero essa possibilidade. Minha única certeza, é que escolhi continuar e pôr um fim nessa história, de uma forma racional e sem abrir mão da minha vida pessoal. Eu também sou filho de Deus, né, diário? Também tenho que sair, beijar, ficar deprê, rir em demasia de memes ou piadas sem graça, conhecer a vida e saber conciliar isso com minhas tarefas. Não é possível achar que você vai ser um médico, sendo totalmente técnico. Em algum momento você vai ter que saber compartilhar suas experiências de vida para ter empatia com o paciente. Sentir a dor do outro, mas, ter passado por dores ou alegrias similares na sua vida. Ser puramente frio, técnico, não é ser um médico excelente. Talvez, um ótimo profissional, mas, não um exímio humano, que reconhece suas limitações. É isso, diário, estava com vontade de falar. Não tenho vergonha de dizer que fracassei esse ano, de novo. Meu maior orgulho seja ter resistido à todas as opções que surgiram (quase virei calouro de Direito ou Odonto na USP kkkkk), e estar aqui, vivo, repensando o que não deu, e mudando isso pra virar aluno da Faculdade de Medicina. Foco no Jaleco, não deixe as dores te impedirem de conquistar o que é seu e não deixe de viver!

Um dos melhores dias da vida… Ver meu timão ♥