Ano que vem você se vê fazendo a Faculdade de Medicina ou novamente no Cursinho?

faculdade-de-medicina
Essa imagem representa como me vejo ano que vem…

Fala galera! Desculpem a ausência, quem me conhece sabe que desapareci, mas sempre posto uma foto no instagram pra dizer que estou vivo… rsrs
Esse questionamento denota o espírito dúbio que você pode estar sentindo nesse momento. Tudo se resume em: indefinição. É difícil dizer que estamos totalmente confiantes, ou completamente incrédulos. Até porque um fato é evidente: estamos mais preparados do que quando começamos o ano. Temos mais ferramentas pra resolver uma prova, e ao longo do ano fizemos muitos simulados e resolvemos muitas questões. Só que é impossível não pensar: será que isso é suficiente pra conseguir minha vaga? Não sei qual sua resposta. Mas, independente dela, ainda temos tempo de bola rolando. Sei que é curto, mas é tempo, não é lamentação pelo que passou. Então, sejam estratégicos nesse momento. Quem fez várias provas ao longo do ano, agora é hora de ser muito mais incisivo do que antes, mas,  quando estiver cansado, pare, descanse e retome! Sem mais delongas, darei algumas dicas de forma organizada…

• Como utilizar o tempo de forma favorável nessa reta final?

Nesse momento você tem que estar fazendo apenas duas coisas: revisão e prova, se não está, não é o fim do mundo! Pra quem conseguiu chegar nesse esquema, pra ter mais eficiência, sejam rápidos nos assuntos de facilidade, e percam um pouco mais de tempo nos assuntos mais difíceis (e que caíram nos últimos anos), vocês perceberão o que precisam dar mais ênfase, pois resolvendo prova, saberão onde centrar mais as atenções. Pra quem não está fazendo assim, e ainda tem conteúdo atrasado, faça da seguinte forma: resolva uma prova do Enem por dia, e depois de corrigi-la e ver seus erros… Trabalhe os assuntos que você errou. Exemplo: se foi função? Dedique mais tempo em função. “Ah, Alexandre, mas, já vi função…” E respondo: se viu e errou por desatenção, tranquilo. Está confiante pra acertar 90% das questões de Função que caírem? Se sua resposta for “sim”, passe para o próximo assunto. Se foi “não”, já tem um assunto pra trabalhar. Não veja os assuntos pra trabalhar como “conteúdo à estudar”, isso dá uma procrastinação absurda! Encare isso como “uma ferramenta a mais pra aumentar os acertos”, é bem mais estratégico e tem uma força psicológica milagrosa… rsrs. É bem melhor pensar que você terá uma ferramenta a mais na prova, que pensar que você tem um conteúdo a mais pra estudar… O psicológico ajuda ou atrapalha nessa altura! Só depende de como você se posiciona diante dos seus empecilhos…
Agora, isso serve para todos! Eu recomendo que iniciem resolvendo as provas do ENEM 2009. Pra pegarem toda a transição do ENEM de uma prova pouco madura, com algumas dificuldades na criação de um modelo padrão, com ambiguidades nas questões (das quais o Objetivo reclamou muito nas resoluções comentadas – rsrs), para o ápice de maturidade, que é o “jeitão” recente e consolidado de prova. Isso faz com que vocês enxerguem com bastante lucidez as competências, a evolução, o jeito único de cobrar conteúdos, as possíveis respostas que a prova quer de você! Mesmo quando você não sabe uma questão, ou fica em dúvida, pelo fato de ter praticado demais em casa essas provas e ver as resoluções, você aprende a pensar como o ENEM quer, então, numa eventual dúvida de alternativas, é bem provável que opte pela correta, pelo poder da prática. Por saber o que a prova espera de você, então tudo fica bem mais evidente. Essas estratégias funcionam para outras provas. Exemplo disso é que nesse momento estou resolvendo mais as provas do ENEM (porque será minha primeira prova), depois, me centrarei exclusivamente na prova da Fuvest até o dia 24. E depois da Fuvest, só resolverei provas escritas, já no dia 27. Eu resolvi todos os formatos de prova ao longo do ano, de forma mais esparsa, distribuída. Mas, agora é o momento de intensificar. Um jeito inteligente de revisar os assuntos que preciso estar afiado pra cada tipo de prova. Resolvo todo dia prova. Então, dará tempo de concluí-las. Tomei algumas decisões esse ano.. Então, farei ENEM, FUVEST e UNIFESP, apenas. Não farei UNESP e UNICAMP pelo mesmo motivo: poderia pagá-las, mas, fazendo um levantamento dos meus avanços nessas provas e comparando com o desempenho que tive no decorrer desse ano, achei que não seria válido arriscar nelas. Ás vezes é importante reconhecer que há provas que não foram feitas pra você. Se der alguma tragédia de não passar esse ano, talvez preste elas no posterior. Mas, achei bom fazer isso, pra reduzir a quantidade de provas e, por conseguinte, distribuir a mesma atenção pra todas, algo que não seria possível com tantas provas, especialmente as que abalam meu psicológico por não manter o padrão que mantenho nas que tenho mais chances. Isso aumentou minha concentração e me deixou menos nervoso… Porque só me dedico nas provas que obtive crescimento ao longo dos anos e que tenho condições reais de passar.

• Como lidar com os meus complexos existenciais?

Ta aí uma questão que todo vestibulando gostaria de solucionar, complexos existenciais são um tormento na nossa vida. Mas, saiba… Eles não serão presentes apenas na sua fase de vestibulando. Pense em trabalhar isso para sua vida. Você precisa ter válvulas de escape pra atenuar os impactos que essa tristeza profunda em não obter respostas, em não ter nada concreto, nos traz. Chega um momento – não sei se é o de vocês -, que você começa a ter maior lucidez das coisas, porque já viveu um pouco mais… Sim, isso é um eufemismo pra dizer, estamos envelhecendo… E quando isso acontece, quando você vai enxergando que está passando por fases comuns, que está indo na direção da finitude, como quem se despede de tudo isso… Da vida… Se questiona se todo esse sofrimento vale a pena. Já que, afinal, não ficaremos aqui. Seremos extintos da nossa existência. Sei que é difícil ler isso, ainda mais nessa altura… Mas, precisamos responder as nossas questões refletindo, buscando reflexões de quem já às fez… Bom, pra mim é evidente que não ficarei. Mas, o que mantém minha luta – fiz 26 anos em setembro -, é saber que no limite do meu conhecimento, serei o Alexandre que vos escreve, apenas nessa existência. Então, pra que desperdiçá-la vivendo o que não quero viver, fazendo o que não quero fazer… Seguindo a escolha que não fiz? Isso é hipocrisia. Somos livres pra fazer o que nos “der na telha”, e por que isso? Pelo simples fato da existência ser sua. E por saber que você não será o “você” de hoje nunca mais! Então… SEJA FELIZ! E ser feliz implica seguir o que você acha ser certo para sua finitude. Isso dá uma plenitude incomensurável, uma satisfação. E já resolve a maioria dos existencialismos. Quando esse primeiro passo tiver sido dado.. Vocês terão algumas crises pontuais, por conta da dificuldade de conseguirem ânimo para seguir em frente e principalmente, por enxergarem que estão sozinhos. Sim.. Não queria deixar ninguém triste. As pessoas nos abandonam. Principalmente quando o ideal de vida diverge, ou quando você precisa colocar seu status em “off”, pra concentrar sua atenção no seu sonho. Então, saiba suprir a ausência dessas pessoas, com a presença das que estão todos os dias na sua vida. Me refiro à sua família. Se não tem sua família genealógica, você certamente tem alguém que considera irmão, irmã, pai, mãe, vô, vó… Etc.. Então, apesar das pessoas nos abandonarem, existem pessoas que nunca nos abandonam! E valorize cada uma delas, por ter tirado a sorte grande de nessa existência, ter compartilhado esses momentos com elas. Eu sou a pessoa mais feliz do mundo por ter as pessoas que tenho nessa finitude. E isso já é mais importante que qualquer “papel e tinta” que quiser se sobrepor à minha felicidade. Prova não é nada, não prova nada, não perpetua nada. As pessoas que amamos são muito mais que isso, você é muito mais que isso! Então, pra quê tanta depressão? Um alerta de alguém que perdeu uma pessoa que amava muito pra poder enxergar as coisas como realmente são… Valorize as pessoas enquanto você às têm… É triste dizer isso, mas, infelizmente nós morremos. E as pessoas que amamos também, são nossos heróis que em algum momento ficarão guardados na memória. Então, dê aquele abraço gostoso em quem você ama, e demonstre isso, seja grato por ela te dar alegria pra seguir. Porque esse abraço só pode ser dado e sentido enquanto ela está aqui…
Outras coisas que ajudam a manter a motivação nesse momento… Você pode começar a correr no parque, isso é bom pra pôr as ideias em ordem, pra respirar e melhorar seu estado físico para prova..rs Além disso.. Brincar com o cachorro ou gato, animais são muito acolhedores, e você trabalha muito suas emoções compartilhando amor com eles. Se você gosta de futebol, pare de recusar os convites dos amigos, agradeça por ser lembrado, e vá bater aquela pelada! Se você gosta de sair, saia com seus amigos – se gosta – passeie e distraia a mente. E veja que bitolar não leva ninguém à realização nenhuma e nem tem sentido lógico, porque só antecipa a sua autoaniquilação… Sou um exemplo claro disso. Se duvidar.. Pegue minhas postagens de 2014… uhaushaushaushuah.

• Considerações finais

Não sei quando irei postar. Então, desejo à todos um ano maravilhoso de vestibular. E que vocês consigam converter todos os esforços de mais este ano, em resultados definitivos. É difícil pra quem está começando ver que existem veteranos. Não pense neles, pense em você. Foi assim que consegui aumentar minha densidade. Cada um de nós tem um tempo pra passar, então, não pegue exemplos externos… Não significa que você levará o mesmo tempo. Projetar a aprovação em 3 ou 5 anos pode acomodar, só dê o seu melhor nesse ano. Se não passar, pelo menos terá menos trabalho no ano seguinte… E você, veterano de guerra (como eu), tenha muito bem sentida aquela sensação que temos quando reprovamos, de ver tanta gente passar e comemorar e nós não. Essa é a sua defesa contra qualquer procrastinação. E por que digo isso? Porque nos dá a sensação de que voltamos no passado e temos a chance de evitar que essa sensação dolorosa se repita. Sim, aprendemos na dor. E queremos a vitória pra não senti-la de novo… Então, tenho certeza que sua resposta ao título dessa postagem foi: me vejo na Faculdade de Medicina. É inevitável não trabalhar com a possibilidade da reprovação. Entretanto, o nosso cerne não é em fazer cursinho ou estudar sozinho ano que vem, é iniciar de uma vez essa graduação! Portanto, desejo de coração que vocês todos tenham um ótimo ano de prova. A fila continua andando. E ainda dá tempo de ser o primeiro dela! Nada de planejar o fracasso, porque ele já é basicamente existente. Então, planeje a vitória. Pense em como fará pra se manter na Faculdade de Medicina, se precisará de alojamento, de assistência social, de auxílios, imagine-se comprando a blusa da FACULDADE DE MEDICINA que você quer fazer. Nada do que te sobrou.. É o lugar que você quer estar. Essa é a meta principal. Pense em como será ver seu nome na Lista, fazer aquela “clichê” postagem com textão no Facebook (todos nós merecemos isso, então, não prive esse direito seu), pense como será eternizar aquela foto sua com “MED” na testa, como será se pintar todo, abraçar as pessoas que viram sua luta, e vibrar por essa primeira conquista. Depois, pense como será o primeiro dia de aula, recebendo as felicitações dos professores, vendo o que é estar na Faculdade de Medicina, o que é tudo isso… Depois, tirar fotos nos corredores do hospital, ou pós estágio, exausto, mas feliz! Você estará vivendo esse sonho… Então, valerá a pena ter existido! Por mais que sejamos finitos. Tudo isso ganha sentido quando se está vivendo um sonho! FOCO, FORÇA e CAFÉ! Nos vemos na Faculdade de Medicina! ♥