Fazer cursinho ou estudar sozinho?

marcela1
Seu futuro só depende dos seus esforços no presente…

Salve, caros! Voltei a criar algumas dicas para vocês se manterem firmes até o final do ano, pensei em criar essa postagem em Janeiro, porém, muita gente já está montando o ambiente de estudos desde já (caso não dê certo esse ano). Tratarei de vários assuntos hoje e tentarei fazer com que tu, caro Leitor, consigas extrair tudo o que há de bom em ti, e afastes quaisquer resquícios das dúvidas que restam, para bem longe! Vamos começar 2016 com o pensamento de que será o nosso ano (caso este não o seja).
Antes, antecipo-lhes que decidi o que fazer caso não dê certo este ano, tentarei uma bolsa num cursinho ou (bem provavelmente) estudarei sozinho e já deixei tudo minuciosamente pronto e planejado para evitar surpresas; não é pessimismo, e, sim, realismo. Pés no chão; sei que há as possibilidades de aprovação este ano, mas, não descarto a reprovação. Não quero dar uma “digressão pessimista” como faria Machado de Assis, interpelando-te sobre o texto, sobre sua incapacidade de compreendê-lo (risos), etc.
Afinal, quem sou eu para me comparar com esse gênio… (risos)²
Mas, chega de delongas… Vamos ao que importa!

Estou indeciso, devo fazer cursinho ou estudar sozinho?

Essa decisão pode ser fundamental para sua ingressão na Medicina, eu, particularmente, até prefiro o estudar sozinho. Não optei por isso nos dois últimos anos por um único motivo: EXATAS. Eu precisava de mais base, de aulas, de plantões de dúvida, de ajuda, de maturidade intelectual para “quebrar” o pensamento de incapacidade que bloqueava meu progresso nessa área fascinante.
O que oriento sobre essa decisão? É simples, porém, saiba que você é singular, precisará refletir e colocar tudo numa balança.  Minha orientação como um vestibulando experiente e que quebrou muito a cara, mas, quer evitar que você faça o mesmo é: se conheça. Você precisa saber se consegue aprender mais sozinho, se dará conta das matérias, se é organizado, se consegue acompanhar todos os conteúdos por conta própria. Se você está no primeiro ano, oriento que faça um ano de cursinho só pra saber como é a rotina, pra encontrar pessoas que buscam sonhos similares, pra conhecer alguns veteranos e observar minuciosamente como é a rotina e o que eles fazem para buscar motivação. Já fui observador, aprendi muito com cada pessoa que passou pela minha vida e foi sucedida. Se você já está calejado, é complicado arriscar, pode ser perigoso iniciar sozinho, mas às vezes é bom arriscar! Você tem experiência, tem base do cursinho, será que compensa ficar nessa “mesmice”? Ou, será que vale a pena enfrentar o medo de arriscar um ano da sua vida sozinho? Decisão difícil? Não! Novamente, você precisa se conhecer. Foi difícil pra mim inserir a possibilidade de estudar sozinho, mas terei muitos benefícios com isso, eis alguns para vocês verem: terei tempo para analisar minuciosamente as obras literárias, não gastarei dinheiro com deslocamento (sobrando, por conseguinte, dinheiro para os vestibulares de São Paulo e alguns de outros Estados), não perderei tempo de deslocamento, não terei intervalo entre as trocas de aula, o tempo será muito bem aplicado, mas tudo depende da sua organização. Eu tinha aproximadamente 6 horas de estudo solitário no cursinho (aplicação de exercícios, leitura, etc). Sem o cursinho, terei pelo menos 15 horas de estudo solitário e ainda conseguirei dormir bem melhor. Fora, que não haverá a pressão do cursinho, todas aquelas pessoas que começam a se desmotivar no final do ano, o estresse, a angústia. Você estará mais confiante, mais preparado. Além, das revisões, geralmente os cursinhos fazem um pouco antes das provas, alguns até mesmo extrapolam e fazem depois de provas importantes. Veja bem! Não estou querendo tirar sua visão de cursinhos, eles ajudam muito, eu posso dizer que fui muito beneficiado pelo ensino deles, mas me sinto extremamente preparado para a independência! Uma hora precisamos caminhar sozinhos, não é que não iremos mais pedir ajuda para alguém, mas, é preciso extrair mais de si, confiar mais em você! Se você está calejado e sabe vários conteúdos, tente caminhar sem o cursinho e aumente as horas de aplicação, resolução de exercícios e vestibulares anteriores. Se você ainda é inexperiente, faça o cursinho no tempo que achar melhor para amadurecer. Não quero obrigar vocês a nada! Tentem colocar os prós e contras numa balança, e, assim que decidirem, façam o melhor! Entrem de cabeça nesse sonho! Eu mesmo, há muita chance de estudar sozinho, mas também posso fazer cursinho (com bolsa). Decidirei isso no final desse mês, mas já deixei meu quarto montado. Olha ele, quem não viu no POST anterior…

IMG_20151213_140001

Ambiente de Estudos para aumentar a Produtividade e algumas Motivações Diárias…

Sem cursinho:

Você pode estudar numa biblioteca se não tiver um espaço reservado em casa, nesse ambiente a motivação aparece só de ver as pessoas lá, estudando. Se for estudar em casa, reserve um cômodo (o que tenha mais isolamento acústico possível), tente organizá-lo com uma mesa (simples ou não, vai do seu gosto), uma cadeira confortável, mantenha os livros organizados, tenha um Roteiro de Estudos, uma  Tabela de Horários e Matérias Diárias, se possível, pinte seu quarto, o meu pintei de amarelo por um simples motivo, segundo estudos de ambientes produtivos de estudo, a cor amarela aumenta sua atenção e cognitividade (capacidade de aprendizagem), é a cor mais recomendada para salas de estudo.
Se for possível, tente evitar que a sala de estudos seja no seu quarto. Por um simples motivo! Quarto tem cama, é o local em que seu cérebro processa que ele deve repousar, tem computador conectado na rede, tem suas distrações, e, você não quer procrastinação, ou quer? Espero que não.
Uma coisa interessante que farei esse ano e recomendo imensamente! No seu cronograma de estudos, tenha reservado diariamente pelo menos 30 minutos no máximo de estímulo motivacional, como isso funciona? Você terá esse tempo (antes de iniciar os estudos) para ler algo que te motive, ver vídeos de motivação com depoimentos de quem passou, imagens de calouros vibrando a aprovação no TROTE, ouvir uma música que te dê muita energia; etc. Tudo o que te coloque pra cima e que não deixe você esquecer qual é seu objetivo! Isso pode enjoar? Não! Você tem que cultivar isso desde o início, pois dessa forma, iniciará seus estudos muito convicto e com as mãos na sua aprovação, sua produtividade aumentará muito! Pois, você estudará motivado, querendo passar e vendo que é possível isso, só depende de você e de mais ninguém! Além de evitar chegar no final do ano com medo, sem confiar em você, ou correr o risco de uma indesejada depressão ou até uma procrastinação, que também te deixará imensamente triste. Isso pode acontecer, mas você pode evitar se mantendo focado diariamente no seu objetivo que é ser aprovado em Medicina! Sei que você conseguirá, só precisa de disciplina e de motivação! “Confie em si mesmo, quem acredita sempre alcança…”.

Com cursinho:

Siga o mesmo exemplo de quem vai tentar Medicina estudando sozinho, claro! Não serão 30 minutos. Estudando no cursinho o tempo é mais precioso. Você deve ter no máximo 15 minutos de Reflexão, Paz.. Nesse tempo você precisa se desconectar do ambiente conturbado do cursinho, veja um vídeo (salve no seu celular) com depoimento de quem passou, ou motivacional específico para quem é Vestibulando de Medicina, leia algo que te motive, veja imagens de calouros vibrando no TROTE, ou uma música que te coloque pra cima, vale conversar com alguém com boa vibração… (eu conversava com as tias da cantina, mulheres sábias! Eu adoro elas!)Após esse tempo precioso, você iniciará seus estudos com muita força, ainda mais no cursinho, é essencial que isso seja feito diariamente, não esqueça disso! É como uma oração, a sua oração.
Quanto ao ambiente de estudos…
Talvez você seja como eu, adore conversar com os amigos, rir, fazer piadas sem graça sobre física, cantadas desnecessárias rs, etc. Isso pode ser perigoso se você não for ponderado! Procure não evitar seus amigos, mas no momento dos estudos, esteja lá de corpo e alma para cumprir a sua missão! ESTUDAR. Para não parecer chato, fale educadamente que se ausentará pra estudar, e marque a conversa para outro horário livre, WhatsApp, etc. Você precisa estar focado! Nem que para isso, você tenha que estudar com fone de ouvido ao som de algo que te tranquilize. Outra coisa… A sala de estudos precisa ser silenciosa, se não for recorra aos fones de ouvido ou protetores auriculares. Se você for chato como eu, reclame com o coordenador do seu cursinho! Você está lá para passar em Medicina, o cursinho é o que mais torce por isso, pois sua aprovação é o Marketing que trará vários alunos! Sim… É o “mercado negro” do cursinho… Mas, é assim que funciona. Você precisa exigir seus direitos como consumidor, para não comprar um marketing furado. É importante extrair o máximo da sala de estudos, geralmente há os plantonistas, tente ser independente, mas se houver dúvida, não hesite em aproveitar de mais esse direito!  Escolha um cursinho que lhe dê essas opções, vá conhecer o local, sente-se na sala de estudos pra ver se está confortável, e outra! Vá no cursinho o quanto antes, eles ainda estão tendo aulas finais, vá enquanto estiver tendo aula pra ver se a sala de estudos é silenciosa e confortável. Você precisa do melhor e nem sempre o melhor é o mais caro, respeite seus limites financeiros. Afinal, se não houver condições, há cursinhos gratuitos (MedEnsina, CUJA, EPUFABC, etc). Além de cursinhos que dão bolsa de até 100% (ETAPA, COC SBC, ANGLO, POLIEDRO, OBJETIVO SP, etc.). Seja um consumidor atento e lembre-se, lá na frente você precisará do retorno da sua aquisição. Escolha o melhor adaptado à suas condições. Isso é possível!

CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Bom gente! Fui bem objetivo nessa postagem, mas, deixei LINKS nas palavras-chave, pois há dicas muito completas e detalhadas no Blog sobre isso, só quis modernizar e trazer coisas novas pra facilitar a vida de vocês! Espero que eu esteja contribuindo da melhor forma na vida de vocês, Medicina é uma escolha feita por pessoas nobres, que vão dedicar o resto de suas vidas à estudar para curar ou aliviar a dor do próximo, já que fizemos essa escolha, porque não ser nobre desde já? Passem esse Blog para outros vestibulandos (independente de serem de Medicina), isso pode ajudar muita gente. Recebi várias mensagens de pessoas agradecendo, às vezes você só quer desabafar e se motivar com algumas palavras, mas você consegue tocar na ferida de outra pessoa e aliviá-la. Palavras tem poder de transformação, seja parte da transformação desse mundo, faça algo por alguém. Passe essas mensagens para frente (o BLOG). Não é marketing; antes, minha intenção com o Blog era puramente desabafar, encontrar poucas pessoas como eu para compartilhar nossas angústias e nos motivar à persistir. O projeto cresceu, mas sem nenhuma pretensão. Virou uma família, sei que muita gente lê, sente, mas não comenta nada. O importante é sentir, se o Blog está próximo dos seus 200 mil membros, é porque está ajudando as pessoas, por esse motivo, não pararei jamais de publicar. Mesmo quando for aprovado, nossa família continuará viva, cada vez mais forte e com mais motivos para vibrar e lutar por uma vaga na Medicina do Brasil. Estamos juntos, firmes e vivos. Somos uma legião, somos vida!
Abraços, façam bom proveito de cada palavra.

DIÁRIO – (auto-análise) – 09/12/2015

PUBLICAÇÃO DE (09 de Dezembro de 2015) – (mais recente)
cropped-cropped-dd.jpg

Olá, Diário!
Estou muito animado, já refleti sobre algumas coisas que deram errado na prova da FUVEST, e vejam! Não foi conteúdo. Anteciparei o motivo (vai que alguém tenha o mesmo problema). O motivo referido foi psicológico, eu supervalorizei a FUVEST. AN? Como assim? Sim! Supervalorizei. Se está em dúvida qual o sentido dessa valorização exacerbada, o motivo foi ter colocado essa prova como única prioridade, era OBRIGAÇÃO acertar quase tudo do que sou forte, já que fazia isso nas provas antigas. Eu me obriguei a gabaritar Biologia, me obriguei a acertar 90% no mínimo das questões de Português, gabaritar Física, etc. Qual foi o resultado disso tudo? Qual lição posso deixar? A primeira pergunta é óbvia, sinto que não irei para a segunda fase. Quanto a segunda, deixo de lição a seguinte dica! Se você estiver se preparando para o vestibular do seu sonho, está fazendo certo! Mas, prepare também o seu psicológico para o dia da prova, saiba que você fez o que pôde e está preparado para ela, porém, deve saber que há limites para tudo, não exija algo que não depende inteiramente de você, não se obrigue a gabaritar nada, nem sempre a prova estará do jeito que você está acostumado nos simulados que fez. Se você se obrigar a gabaritar algo, isso significa que você pode perder muito tempo por essa obrigação, para garantir as questões que você é bom! E no Vestibular, tempo é crucial! Além de equilibrar a quantidade de acertos. Outra coisa… Tempo… Perdi muito tempo tentando gabaritar a Física da Fuvest (só por ter feito isso na Unicamp). Senti que me descuidei um pouco com relação à isso, eu fiz todos os simulados do cursinho, com “sangue nos olhos”, fiz várias provas da FUVEST, mas ainda assim não foi suficiente. Acabei tentando mudar as estratégias que treinei nos simulados da prova, por causa desse excesso de vontade de ir bem; parece bobagem! Mas, deve-se ter controle de tudo, até da sua vontade. Me atrapalhei por conta disso… Gabaritei Biologia (desconsiderando a questão estranha que foi anulada), fiz ótima pontuação em Física e em Português, mas veja! Nas questões que sou forte, errei 5 questões de português, errei 3 questões de Física, errei 4 questões de História, errei 5 de Geografia… Dessas disciplinas que sou forte eu errei  17 questões! Algo inadmissível, visto que me conheço. Gente… Se eu não estivesse tão “pilhado” pra errar no máximo 2 questões (quando não gabaritar), dessas 17 questões erradas, eu teria acertado pelo menos 15, o que me traria muita tranquilidade, pois lido bem para conseguir pontuações nas questões que tenho mais dificuldade, distribuo bem minha resolução, me conhecendo posso afirmar isso com convicção, certamente estaria comemorando com vocês! No cursinho eu estava fazendo a pontuação acima do corte (nas provas antigas da Fuvest), como posso ter ficado abaixo do que provavelmente será o corte? Eu refleti bastante. Nervosismo não foi, estava muito confiante. Então, a hipótese após minha reflexão foi a minha “pilhagem” (risos). Eu fui com muita “sede” ao pote… Mas, ainda estou vivo, tenho chances esse ano (em outras provas), o importante é ter mantido minha evolução (comparando conhecimento real e gráfico positivo de crescimento). O importante é persistir! Uma hora tu chegas onde queres!
Outra coisa! Montei minha sala de estudos em casa, depois faço uma nova publicação com algumas dicas para quem estudará sozinho e não sabe como organizar sua sala de estudos! Eis a foto:
20151205_095952
Se não for esse ano, e, não conseguir uma bolsa integral ou parcial num valor aceitável, irei estudar sozinho! De qualquer forma, terei minha sala de estudos! Pode ser útil até se eu passar esse ano, estudar MEDICINA!! Nada de desistência! O caminho é persistir.
Até mais, Diário.

FONTE: DIÁRIO DO BLOG

DIÁRIO (MÊS DE DEZEMBRO)

cropped-cropped-divulgacaovestibular.jpgPUBLICAÇÃO DE (04 de Dezembro de 2015) – (mais recente)

Olá, Diário.
Fiquei uns meses sem publicar nada por aqui, pois não estava bem para desabafar… Sei que é uma área de desabafo, e veja que contradição! Mas, estou fazendo o máximo para prosseguir com o meu sonho. E farei o máximo para compartilhar todos os sentimentos de um Vestibulando Real, que não é apenas herói, pois os grandes feitos, antes de existirem, surgem nos grandes fracassos…
Então, só gostaria de dizer que os últimos dias foram difíceis, ter que justificar para todos “acho que fui bem”, quando no final, olhando seu resultado, notar que tudo não passa de puro eufemismo…
Queria muito vir aqui com a maior das alegrias, mas não é bem assim. Entretanto, posso afirmar à você, Diário, que estou melhorando muito meu desempenho, perceba que não é incapacidade minha, nós não levamos muito tempo (quando outros levam pouco) por incapacidade própria, é porque simplesmente, “temos nosso próprio tempo”… Apesar de tudo isso, sinto que dessa vez cheguei muito próximo do que nunca antes cheguei, falta pouco… Mas, o grande triunfo de um Vestibulando de Medicina, não é simplesmente sua força, sua vontade, sua evolução… Este grande triunfo chama-se, paciência. E ele é o principal responsável por tudo ser possível de tornar-se real e evitar o desespero que nos faz tomar decisões completamente irracionais, se não há este triunfo, não há força, não há vontade, não há evolução…
Não “joguei a toalha” este ano, mas sinto que poderia ter extraído mais de mim, agora é aguardar a nota do ENEM, realizar a UNIFESP, FAMERP, e, não lamentar, apenas trabalhar a FUVEST, pois não conseguirei ir para segunda fase por pouco, eu falhei em coisas que sou bom, isso é inadmissível, o que aconteceu? Talvez eu saiba, mas estou refletindo um pouco mais nesta questão, falta pouco para conseguir a aprovação do meu sonho, USP, e acho que não será agora. Vou trabalhar isso, pois não cometerei o mesmo erro novamente, isso é fato. Me conheço. E para o estranhamento dos leitores (caso este ocorra), pretendo me matricular se passar em outro Vestibular, e continuar prestando isoladamente FUVEST, sonho é sonho… Não é? Cada um tem o seu e sabe a melhor forma de fazer o que deve ser feito para alcançá-lo. Inicialmente, inebriado, com a visão turva, vemos só alguns detalhes do que devemos trabalhar, mas, quando estamos nessa batalha há um tempinho e apanhamos muito no caminho, não há mais visão turva, tudo é muito claro, porém, deve-se continuar confiando em suas ações, sem medo de mudar, e, sobretudo, ter o triunfo tão referido nesse desabafo, ter paciência…

POSTAGENS DO MÊS DE DEZEMBRO: CLIQUE AQUI